Início » Doença Homorroidária
a

Doença Hemorroidaria

O que é?

Hemorroidas são os vasos do ânus, normais, presentes em todas as pessoas. A doença hemorroidária corresponde à dilatação anormal destes vasos, causando abaulamento (sensação de “bola” no ânus), sangramento, e por muitas vezes desconforto.

Ocorre geralmente na vida adulta e está na grande maioria das vezes diretamente relacionada ao esforço evacuatório – força que se faz ao ir ao banheiro.

Algumas outras causas são relacionadas a certas profissões que exercem esforço abdominal e presença de calor e/ou posição sentada muito tempo, ou em certas condições que aumentam a pressão abdominal, como gravidez, ascite (“barriga d’água”) entre outros, o que podem agravar o quadro.

A evacuação promove a congestão (aumento) das hemorroidárias, porém, após a passagem das fezes, esvaziam-se rapidamente. Pacientes com constipação intestinal (o famoso “intestino “preso” ou “prisão de ventre”) fazem um esforço maior para a defecação, o que mantém estas veias aumentadas por um  tempo mais prolongado e por mais vezes, agravando e acelerando o desenvolvimento das hemorroidas patológicas.

Quais os sintomas?

O principal sintoma é o sangramento caracteristicamente durante e após a defecação. Em geral acompanhado de fezes sólidas, ressecadas ou quando se faz força para evacuar. O sangue recobre as fezes por fora, podem gotejar no vaso, ou sujar o papel higiênico. Também pode surgir abaulamento (“bolinha” no ânus) durante a higiene, que na maioria das vezes desaparece. É importante não confundir hemorróidas com as dobras de pele do ânus (plicomas anais), que por vezes existem, mas não sangram, e estão por fora, e geralmente não causam problemas maiores à evacuação.

Doença hemorroidária não é câncer, e não aumenta o risco de câncer.  Em geral, não se acompanha de dor, a menos que haja alguma complicação. Em graus mais avançados, há prolapso, saída de parte final do intestino, com secreção mucosa e/ou resíduos de fezes que suja a roupa íntima involuntariamente ou pode ser causa de coceira anal. Nesses casos é fundamental a avaliação de cirurgião especialista – Proctologista.

Como tratar?

É primordial primeiramente, em todos os casos, cuidar do hábito intestinal. A constipação intestinal muitas vezes causa ou agrava a doença hemorroidária. Por muitas vezes apenas o tratamento adequado dele regride as hemorroidas, sem necessidade de cirurgias.  Recomenda-se a utilização de uma dieta baseada em fibras e emolientes (amolecedores) das fezes para se reduzir o trauma no canal anal durante as evacuações.

As medidas gerais e hábitos de higiene, também são importantes no tratamento, como banhos de assento com água morna, eliminação do uso de papel higiênico, evitar manipulação exagerada da região após evacuação, e fazer evacuações rápidas, sem longos períodos no vaso sanitário, e sem esforço evacuatório prolongado.

Os banhos de assento (sentar em água morna) com temperatura próxima dos 40 graus ajudam a relaxar a musculatura esfincteriana interna e reduzem o desconforto, bem como melhoram a vascularização da região e diminuem as hemorroidas.

Também é muito importante sempre respeitar a necessidade do organismo de ir ao banheiro. Quando você inibe/prende a vontade de ir ao banheiro o seu organismo vai segurar reflexos naturais e interpretar que é preciso uma quantidade maior de fezes armazenada para desencadear uma nova vontade. Assim, fica cada vez mais longo e difícil o período entre as evacuações, e cada vez maior a quantidade de fezes armazenada, ficando progressivamente mais difícil evacuar. Essa quebra de reflexos, às vezes hábitos errados de vários anos, pode demorar um tempo e exigir medicações laxativas para reverter, mas é possível, com ingestão de água, dieta adequada, exercícios, e treino de evacuações após alimentações. É preciso retreinar o seu organismo a ter evacuações regulares. Respeite a vontade dele. Não segura a vontade de evacuar. Se for o caso, leve lenços umedecidos e organize o dia-a-dia por um tempo para conseguir isto.

Recomenda-se uma boa ingesta de líquidos (pelo menos 2 litros de água por dia, nos casos mais graves 2,5 a 3 litros por dia). Sem água dentro das fezes, elas sempre ficarão duras e secas e de mais difícil passagem. Quanto mais água, melhor a evacuação.

Muitos pacientes respondem muito bem apenas com essas medidas.

Caso contrário, procure um médico, de preferencia especialista. Alguns medicamentos podem ser utilizados como coadjuvantes, até mesmo no pré e pós-operatório para se minimizar o desconforto, até mesmo em hemorroidas mais graves, desde cremes tópicos, comprimidos ou tópicos venotônicos. Consulte seu médico para este indicar ou não medicações ou a cirurgia. Não use medicação por conta própria, principalmente os laxantes. Eles podem piorar o quadro de hemorroidas e irritar o intestino. Consulte o seu médico.

Orientações para Doença Hemorroidaria

Cuidados Gerais

Beba bastante líquido, por volta de 2 litros ou mais; Inclua sucos naturais, distribuídos em 5 a 6 tomadas e de preferência longe das refeições.

Alimente-se se em horários regulares (a cada 3 horas) e mastigue bem os alimentos; isso incentiva o intestino a funcionar melhor.

Prefira refeições com classes de alimentos mais variadas (verduras, legumes, sementes) e ricas em frutas com bagaço, (mamão, ameixa, manga, laranja e mexerica), verduras e cereais;

Respeite a necessidade diária de fibras – 20 a 30g (LISTA ABAIXO)

Cuidados Específicos

Evite usar o papel higiênico diretamente na região após a evacuação. De preferência, faça a higiene com jato fraco de água (ducha ou bidê) e se possível lave delicadamente com sabão neutro de glicerina e seque com toalha (preferência) ou papel higiênico.

Não segure a vontade de evacuar.  Tente estabelecer um horário regular para evacuar, de preferência após uma refeição.

Não demore muito tempo na evacuação. Quando der vontade sente e faça. Isso vai permitir seus reflexos melhorarem com o tempo.

Evitar distrações durante a evacuação, como falar ao telefone, ver TV, conversas, leituras e etc. Evite o esforço demorado e desnecessário.

Tome as medicações para dor conforme orientações do seu médico. A dor piora os reflexos da região e fazem a evacuação ser mais difícil.

Atente-se a posição ao sentar no vaso, para facilitar a evacuação (posição de bumbum “empinado” é a correta). Se possível com banquinho elevando e fletindo a coxa.

Como se alimentar

Prefira refeições mais variadas, ricas em frutas com bagaço, (mamão, ameixa, manga, laranja e mexerica), verduras e cereais;

Reduza a quantidade de gorduras em geral, (principalmente carnes gordurosas e porco).

Evitar

Alimentos com poucas fibras (constipantes) em excesso como: massas, farinhas, arroz branco, doces, gelatinas e maçãs sem a casca.

Condimentos (molhos picantes, vinagre, pimentapimentão, picles, ketchupmostarda, etc.), frutos do mar, cafés, enlatados e conservas.

Evite bebidas alcóolicas, chocolate, café em excesso e alimentos que levem a uma produção excessiva de gases, como brócolis, cebolas, couve-flor, feijão.

Prefira alimentos ricos em fibras que auxiliam no funcionamento intestinal

PRINCIPAIS TIPOS DE FIBRAS: Aveia, Cevada, Granola, Linhaça, Gérmen de trigo.

 Esta tabela mostra a quantidade média de fibras que contém os alimentos mais comuns.

INGERIR EM MEDIA 25-30 GRAMAS POR DIA

Hortaliças

  • Agrião cru – 1 pires de chá = 0,4g
  • Alface – 3 folhas = 0,9g
  • Brócolis cozido – 3 ramos = 1,5g
  • Chuchu cozido – ½ xícara de chá = 0,5g
  • Couve cozida – ½ xícara de chá = 1,0g
  • Couve crua – 1 xícara de chá = 1,01g
  • Couve-flor cozida – 3 colheres sopa = 1,0g
  • Espinafre cozido – ½ xícara de chá = 0,4g
  • Palmito em conserva – ½ xícara de chá = 0,6g
  • Pepino – 5 rodelas = 0,4g
  • Repolho cozido – ½ xícara chá = 1,1g
  • Repolho cru – ½ xícara chá = 0,8g
  • Tomate cru – 1 unid média = 1,0g
  • Vagem cozida – ½ xícara chá = 1,1g

Leguminosas

  • Abóbora cozida – 1 pires chá = 2,24g
  • Abobrinha cozida – 1 unid pequena = 0,8g
  • Beterraba cozida – 1 unid média = 1,4g
  • Cenoura crua- 1 unid = 0,9g
  • Cenoura cozida – 1 unidade = 1,2g
  • Mandioca cozida – ½ xícara cha = 2,2g
  • Mandioquinha – 1 unidade = 2,51g
  • Broto de feijão – ½ xícara de chá = 0,3g
  • Ervilha seca – ½ xícara de chá = 2,0g
  • Ervilha enlatada – 2 colheres sopa = 1,8g
  • Feijão carioca cozido – 1 concha = 7,22
  • Feijão mulatinho cozido – 1 concha = 3,9
  • Feijão branco cozido – ½ xícara de chá = 2,8g
  • Feijão roxinho cozido – 1 concha = 4,79g
  • Feijão fradinho – 1 concha = 3,44g
  • Feijão preto cozido – 1 concha = 5,38g
  • Grão de bico – ½ xícara de chá = 2,6g

FRUTAS - com a casca e sem a semente

  • Abacaxi – 2 colheres sopa = 0,1g
  • Ameixa fresca – 1 fatia média = 1,1g
  • Ameixa preta fresca – 1 unidade média = 0,2g
  • Banana – 4 unidades = 0,51
  • Caqui – 1 unid média = 2,49g
  • Coco ralado fresco – 1 unid média = 2,49g
  • Figo – 2 colheres sopa = 1,11g
  • Goiaba com casca – 4 unidades = 2,4g
  • Laranja – bagaço – 1 unid média = 5,04g
  • Maçã com casca – 1 unid média = 2,6g
  • Mamão papaya – 1 unid média = 3,5g
  • Manga – ½ unidade = 0,85g
  • Pêra – 1 unid média = 0,7g
  • Pêssego – 1 unid média = 2,5g
  • Tangerina – 1 unid média = 0,56g
  • Morango – 1 xícara de chá = 3,0g
  • Melão – ¼ unid = 1,0g
  • Melancia – 1 xícara chá = 0,4g
  • Suco de mamão – ½ xícara chá = 0,8g
  • Suco de laranja – ½ xícara chá = 0,5g
  • Uva comum – 1 cacho pequeno = 0,61g
  • Uva passa – 2 colheres sopa = 3,0g

OLEAGINOSAS

  • Amêndoa torrada – ½ xícara de chá = 2,85g
  • Amendoim salgado – ½ xícara de chá = 3,0g
  • Castanha de caju – 15 unidades = 0,16g
  • Castanha do Pará – 10 unidades = 0,69g
  • Noz – 15g = 0,24g
  • Semente de abóbora – 20g = 7,18g

CEREAIS

  • Amido de milho cru – 2 colheres sopa = 1,3g
  • Arroz branco cozido – ½ xícara de chá = 1,15g
  • Arroz integral cozido – ½ xícara de chá = 1,7g
  • Aveias flocos crua – 2 colheres sopa = 1,9g
  • Aveia flocos cozida – 2 colheres sopa = 0,6g
  • Biscoito de polvilho – 1 xícara de chá = 0,92g
  • Bolacha água e sal – 4 unidades = 2,4g
  • Farelo de aveia cru – 2 colheres sopa = 1,4g
  • Farelo de aveia cozida – 2 colheres sopa = 0,9g
  • Farinha de aveia crua – 2 colheres sopa = 2,0g
  • Farinha de aveia cozida – 2 colheres sopa = 0,8g
  • Farinha de centeio crua – 2 colheres sopa = 5,5g
  • Farinha de milho crua – 2 colheres sopa = 0,7g
  • Farinha de trigo – 2 colheres sopa = 0,12g
  • Farinha de trigo integral – 2 colheres sopa = 0,8g
  • Farinha mandioca crua – 2 colheres sopa = 3,1g
  • Fécula de batata cozida – 2 colheres sopa = 0,6g
  • Farinha de soja – 2 colheres sopa = 1,6g
  • Flocos de arroz – 2 colheres sopa = 2,1g
  • Flocos de milho – 1 xícara de chá = 2,1g
  • Fubá de milho cozido – 2 colheres sopa = 1,18g
  • Germe de trigo – 2 colheres sopa = 4,9g
  • Macarrão – 1 prato raso = 2,0g
  • Macarrão integral – 1 prato raso = 2,2g
  • Milho de canjica – ½ xícara de chá = 3,7g
  • Milho verde enlatado – ½ xícara de chá = 2,0g
  • Pão francês – 1 unidade = 3,1g
  • Pão de forma – 1 fatia = 0,9g
  • Pão italiano – 1 fatia grande = 0,13g
  • Pão centeio – 1 fatia = 1,8g
  • Pão integral – 1 fatia = 1,8g
  • Pão diet – 1 fatia = 1,9g
  • Pão de milho – 1 fatia = 1,4g
  • Pipoca – 1 xícara de chá = 2,0g
  • Pinhão – ½ xícara de chá = 3,49g
  • Trigo de quibe – 2 colheres sopa = 5,2g
  • Soja cozida – 1 colher de sopa = 1,2g

Ênfase em atendimento humanizado, prático e explícito aos seus pacientes.